Arquivo da tag: aprender inglês

This Mechanic Will Fix Anyone’s Car For Free

For the last 15 years (Nos últimos 15 anos), ex-air force mechanic David McCoy has been fixing people’s cars (vem consertando carros) for free.

 

David and his team of over 40 Car Car volunteers provide (dão) free repairs two days out of the month (dois dias do mês) in the Atlanta, Georgia area.

In 2016 alone (Em 2016 apenas), the team donated $68,000 worth of labor (em mão de obra) and parts (peças) to anyone in need of automotive care (reparos). Car Care receives most of its funding  (apoio financeiro) for these operations through financial contributions from the McEachern Memorial United Methodist Church.

David has only one requirement (apenas uma condição) for receiving these repairs (ganhar o reparos): “Do you need it? If so, you qualify.” (Você precisa mesmo? Então, você se qualifica”.)

• Assista o vídeo:

•  Aprenda mais partes do carro: http://www.jetec-autoparts.com

•  Quer aprender mais ainda? Ensino e aprendizagem de inglês

Fonte: http://www.goodnewsnetwork.org/mechanic-will-fix-anyones-car-free/

Voos em risco devido ao baixo domínio da língua inglesa

Relatório da aviação civil britânica: o mal domínio da língua inglesa tem colocado em risco inúmeros voos. Em diversos momentos dos procedimentos, pilotos estrangeiros e até nativos da língua inglesa demonstram falta de domínio linguístico ao cometerem erros de uso e de entendimento dessa língua franca da aviação.

Leia mais em https://www.ft.com/content/c4012d50-186b-11e7-a53d-df09f373be87

Dicas TopSkills para quem quer realmente dominar a língua inglesa:

1)       Fuja dos métodos que prometem aprendizagem rápida, sem dedicação constante e que beiram ‘mágica’. O aprendizado de uma segunda língua, assim como o aprendizado de um instrumento musical, requer muita prática, não se engane.

2)      Comunique-se e não apenas entenda conteúdos e responda questões pré-estabelecidas e artificiais.  Isto é, pratique o idioma com alguém que seja capaz de argumentar e discutir um assunto do momento com você enquanto lhe explica o uso da língua.

4)      Aprenda inglês com um profissional habilitado para ensinar o idioma.

Perguntas que lhe ajudarão a decidir que tipo de aula será melhor para você:

– Seu curso ou professor prometem Inglês em 3 meses? Em 1 ano?  Quanto tempo você acha que precisa para dominar bem a língua para seu uso REAL em uma variedade de contextos que você quer/precisa (viagens, trabalho, estudo)?

– Aplicativos, conteúdos online ou aquele aparato ‘bacaninha’ são apresentados como soluções fáceis ou definitivas? Mas… esses recursos serão suficientes para que você se comunique com pessoas reais em um mundo real?

– É satisfatório para você apenas ouvir e repetir falas já pré-estabelecidas do seu professor ou daquela gravação em áudio/vídeo? Afinal, até papagaio sabe repetir frases, não é mesmo?

– Você prefere aprender com alguém que apenas ‘saiba’ falar inglês ou com um professor com formação específica, experiência e domínio linguístico comprovados para lhe guiar, explicar e praticar o idioma alvo?

Gostou dessas dicas? Compartilhe! Tem dúvidas ou questões a respeito? Comente!

ESL games

Que tal praticar e/ou aprender inglês por meio de jogos? Há inúmeros sites gratuitos com os mais variados tipos de jogos para se aprender e/ou praticar inglês. Evidentemente, cada jogo é feito pensando em determinada faixa etária, em um nível e em habilidade de inglês específicas. Além disso, os jogos podem ter os mais diversos tipos de objetivo (ex. certo/errado, missão, pontuação, estágios etc.). Fica difícil, portanto, indicar qual o melhor ou qual jogo é mais adequado sem se levar em conta os fatores exemplificados aqui bem como o próprio gosto do aprendiz.

De qualquer forma, é sempre bom aproveitar e testar suas habilidades linguísticas usando essa forma interativa, automatizada e disponível on-line gratuitamente. A título de exemplo, apresento a seguir algumas sugestões de games.

Word-based Games for ESL Students – muitas opções (matching, speed, jig-saw) para a prática de vocabulário (prefixes, suffixes, homonyms, opposites, irregular plurals/verbs, word forms etc.).

Audio Concentration/Memory Games – coleção de jogos de memória entre outros para se treinar a compreensão oral em inglês. vários exercícios com minimal pairs (i.e. distinção entre sons similares em inglês).

Connect Fours – Como já diz o nome desse jogo, você deverá conectar quatro termos em sequência. Para isso, você deve clicar nas palavras que pertencem a uma mesma categoria ou família. A cada 4 termos clicados corretamente, o sistema confirma a sequência e você ganha pontos. Acesse um exemplo desse jogo, que explora o vocabulário de itens de casa: Home vocabulary

Map Treasure Hunt – Localize locais no mapa seguindo as dicas ou fatos descritos. Exemplo: A German Capital – find the capital of Germany. Modern World History Revision (20 Missions). Use the clues to help you find the secret locations. The closer you have to ‘zoom in’, the more gold coins you win. Compare your scores to other people on the leaderboard as you make progress!

Irregular Verb Wheel Game – Gire a roleta para testar seu conhecimento das formas irregulares dos verbos em inglês. Mas, seja rápido pois o tempo é curto! De quebra, você será testado nas outras formas comuns de verbos em inglês tais como ‘infinitive’, ‘presente simple’, ‘ing participle’, ‘past participle’ etc.

E você? Vai falar inglês em 2016?

No Brasil,  o mercado de ensino de idiomas estrangeiros, em geral, é feito de promessas de aprendizagem e de domínio da língua estrangeira de uma forma fácil e rápida, quase beirando a soluções mágicas. Notadamente, o mercado de cursos de inglês é dominado por esse tipo de marketing, que pode ser visto como uma piada (de mau gosto!). Milhares, e muito provavelmente milhões de brasileiros, de todas as idades e por razões diversas, acabam caindo na desilusão de falar um idioma estrangeiro sem dedicação e sem uma prática contínua. Essa frustação deve-se, em muitos casos, as promessas de se aprender ou dominar o idioma inglês ao estilo ‘fast food’.

A verdade é que são necessários muito empenho e dedicação por qualquer pessoa que realmente queira usar um idioma estrangeiro como sua segunda língua de comunicação. Essas condições independem do método, do professor ou do material e meios utilizados. Não há ‘atalhos’ para você aprender e falar qualquer idioma fluentemente.

Mesmo assim, e como se esse marketing enganador já não fosse danoso o suficiente, predomina, no Brasil, a ideia que o ensino de inglês pode ser feito pelo estudante de qualquer área, pelo turista que ‘passou um tempo lá fora’ ou, simplesmente por qualquer um que se julgue capaz de ensinar o idioma estrangeiro. Consequência? Mais desilusão e mais frustração das inúmeras pessoas que caem nas… ‘mãos’ desses ‘instrutores’.

E o engano não para por aí! ‘Aprenda com um nativo’. Você já deve ter ouvido esse apelo, não é mesmo? A ideia desse tipo de propaganda é que você aprende mais e melhor com um falante nativo do idioma alvo. No entanto, basta você responder a uma simples pergunta para saber a verdade:

– ser um nativo desse ou daquele idioma é suficiente para saber ensiná-lo com eficiência e eficácia? Ou,

– o fato de você se comunicar fluentemente em português o torna capaz de ensinar esse idioma para qualquer pessoa que precisar, incluindo aí qualquer estrangeiro?

– Of course not! Claro que não!

Recentemente, as conclusões de duas pesquisas desenvolvidas pelo linguista britânico David Graddol, 56 anos, a pedido do British Council, uma associação sem fins lucrativos do governo do Reino Unido e voltada para questões de ensino de inglês, revelou que não adianta ser nativo. Tem que ser qualificado para ensinar o idioma!

Em uma entrevista feita pelo portal O globo, o pesquisador Graddol afirma que os ‘Melhores professores de inglês não são britânicos nem americanos’.

Ao contrário do senso comum, o melhor professor de idiomas não é o nativo, mas aquele que fala também a mesma língua do aluno. A vantagem desse profissional está na capacidade de interpretar significados no idioma do próprio estudante. Com a hegemonia ameaçada no caso do inglês, professores americanos e britânicos devem reavaliar a maneira como ensinam o idioma.

David Graddol  também enfatiza a importância da formação, do domínio e da experiência do profissional:

Também é preciso ser altamente capacitado e ter um ótimo domínio do idioma, claro.

Para ver a entrevista completa, clique aqui.

Essa, então, é a minha dica para aqueles que procuram cursos de inglês ou professores particulares de idiomas. Em 2016, busque por profissionais realmente especializados, dedicados e bem preparados para lhe ajudar nessa grande missão que é falar um novo idioma!

 

Quase 2 bilhões de pessoas aprendem inglês

Habitantes do países nórdicos e europeus constituem os principais aprendizes de inglês como segunda língua, mas há participações significativas de países asiáticos e até da américa latina. Dados publicados pelo English Proficiency Index sugerem que quase 2 bilhões de pessoas estudam o inglês como segunda língua.

Veja o relatório completo (em inglês!):

English Proficiency Index

Halloween ou Hallowe'en?

Na Inglaterra, além de Halloween, costumam escrever Hallowe’en, também. Aliás, a própria origem desse termo é britânica e ele foi cunhado, mais especificamente, na Irlanda por volta do ano 1000. Nessa época, a igreja católica romana estabeleceu a celebração do dia de Todos os Santos (The All Saints Day celebration), também chamado de All-hallows or All-hallowmas (do inglês medieval Alholowmesse). Daí, foram cunhados também os termos All Hallow Even, All-hallows Eve e, eventualmente, Hallowe’en.

É sempre bom lembrarmos que o festival original é de origem celta e surgiu há mais de 2000 anos. O povo celta acreditava que, com a chegada do inverno, espíritos assombravam os habitantes. Para espantá-los, as pessoas realizavam o festival chamado Samhain, justamente no dia 31 de outubro de cada ano.

Confira nos links a seguir dois vídeos curtos sobre a comemoração de Hallowe’en na Inglaterra:

Hallowe’en Scene 1 Language Focus

This time, Rob and Stephen are thinking about ‘think’. Oh – and, by the way…

 

Link → http://learnenglish.britishcouncil.org/word-street/halloween-scene-1-language-focus#sthash.GtvBS8MR

Hallowe’en Scene 2

Ashlie and Stephen’s house is full of witches, wizards, and ghosts… and everyone’s having a frighteningly good time!

Link → http://learnenglish.britishcouncil.org/word-street/halloween-scene-2#sthash.RcmmFhjc

Leia estórias com 8 finais diferentes!

Atama-iiBooks, uma editora criada e mantida por professores de inglês, publica estórias voltadas para o público aprendiz de inglês com diferentes possibilidades de desfechos. A iniciativa já recebeu diversos prêmios internacionais.

Então, que tal ler estórias com 8 possibilidades de desfecho? São estórias disponibilizadas em diversos formatos – digital, impresso e vídeo. No link a seguir, você acessa a uma delas gratuitamente.

http://www.gtcpub.com/Class/atamaii/tada/2015/content/page1.htm